Dicas para investir em uma plataforma de vendas


O mercado digital de compras conquista um espaço cada vez maior na vida dos consumidores. Parte pela praticidade que essas lojas apresentam, mas também pelos novos hábitos de consumo da população, aderindo a uma plataforma de vendas.

A atuação do mercado digital já trabalhava com um crescimento exponencial, ligado ao avanço das tecnologias e de como o público vem se adaptando a esse modelo de compra, mas com o período de pandemia, esse número de compras online cresceu ainda mais.

Com o período de isolamento, os consumidores passaram a adotar com ainda mais frequência o modelo de compras digital, no qual é possível por meio do computador, ou até mesmo do celular, realizar as compras do mês e receber direto em sua porta.

Uma situação que exigiu uma completa adaptação do mercado, principalmente das lojas que não trabalhavam com o modelo de entregas, e precisaram contratar os serviços de empresas profissionais, que atuam com um sistema de rastreamento de entregas.

Mas após esse estouro das vendas digitais, o público que começa a voltar a frequentar lojas e mercados físicos, não parece ter abandonado o comércio digital, tendo se acostumado com a praticidade e velocidade que esses serviços oferecem.

Uma pesquisa realizada pelo IBGE aponta que a participação do chamado e-commerce, ou seja, o mercado digital, já corresponde a 10% do mercado varejista, mantendo-se em crescimento sempre constante.

Esse ambiente digital, no entanto, ainda não foi explorado ao seu máximo, com os consumidores e o mercado ainda se encontrando em um processo de adaptação, descobrindo aos poucos todas as possibilidades do campo online.

O processo de ajuste de ambos os lados envolvidos em uma negociação comercial se baseia muito no mercado já conhecido que é o tradicional. Óbvio que existem pontos em comum, como a necessidade de uma consultoria fiscal para auxiliar os seus serviços.

Por outro lado, essa adaptação de mercados, físico e digital, também compartilham de técnicas similares de negociação, e é justamente nesse ponto que entra a ação das plataformas de venda, conhecidas como marketplace.

Como funciona uma plataforma de vendas?

As plataformas de vendas acompanham o processo de migração do público para os meios digitais de compra, o que leva, por consequência disso, o deslocamento do mercado em si para essa realidade virtual, inclusive, da área de consultoria fiscal, já citada no texto.

A variedade de ferramentas que a internet traz permite que diferentes modelos de negociação do mercado encontrem espaço no meio digital, como no chamado B2B (Business-to-Business) e B2C (Business-to-Consumer).

Enquanto o B2B lida com o mercado industrial, tendo as suas atividades voltadas para as negociações realizadas entre uma empresa e outra, o mercado B2C foca na relação de compra de uma empresa com o consumidor final.

Um exemplo de business-to-business é o serviço de factoring para empresas, no qual diferentes companhias negociam as suas dívidas e créditos, de forma a otimizarem seus sistemas de arrecadação, enquanto o B2C lida com a compra de uma roupa em uma loja.

Outro modelo que ganha destaque na internet é o C2C (Consumer-to-Consumer). Nessa relação, toda a negociação comercial é feita entre os próprios clientes, sem a participação direta de uma empresa da indústria.

É um estilo de compra conhecido, envolvendo a compra e venda de produtos ou serviços realizados de forma autônoma, ou com o processo de revenda. Não muito diferente de uma criança que monta uma barraca de limonada, ou uma pessoa que organiza um bazar.

As plataformas de vendas auxiliam no processo de profissionalização desse processo de vendas, no qual um usuário pode montar a sua loja online, abrindo um perfil nesses sites e colocando disponível para venda algum tipo de produto comercializado por si.

Roupas, necessaires personalizadas para brinde, brinquedos e até máscaras respiratórias, que tiveram um grande crescimento com o período de pandemia, produtos que podem ser colocados à venda, dependendo apenas das regras dessas plataformas.

Com isso o marketplace atua com diferentes categorias, podendo ser indicado para variados setores tais como:

  • Setor industrial;
  • Setor varejista;
  • Vestuário;
  • Farmácia;
  • Eletrônicos;
  • Games, DVDs e Blu-rays;
  • Conteúdos de entretenimento.

Diante dessa variedade de áreas, é fácil entender porque o mercado e o público estão migrando para essas plataformas digitais de venda, contando também com toda a estrutura de compra e venda que elas apresentam.

Para compreender de vez a atuação de um marketplace, é possível comparar os seus serviços ao sistema de organização de um shopping center, ou seja, um estabelecimento físico que aluga o seu espaço de venda para diferentes lojas.

Locais onde é possível encontrar peças novas para o seu carro, alimentos específicos como produtos sem glúten, além de roupas novas para um evento especial. O marketplace funciona como uma digitalização do modelo adotado por esses centros comerciais.

Plataformas nas quais o empreendedor consegue expor os seus produtos de forma fácil e prática, contando com as ferramentas de venda disponibilizadas pelo marketplace, destinando a isso uma parte dos lucros, o equivalente ao aluguel de uma loja.

Com base no crescimento do mercado digital, o marketplace também segue em processo de desenvolvimento, oferecendo ao público, tanto o consumidor como o vendedor, um número diverso de vantagens econômicas e possibilidades comerciais.

Porque investir no chamado marketplace

O marketplace vem estruturando cada vez mais os seus serviços, o que permite uma maior profissionalização, oferecendo garantias e confortos aos dois lados das negociações a serem feitas nessas plataformas.

Uma realidade que torna positiva a adoção de vendedores online a esse modelo de compra e venda, tanto para aqueles que possuem uma loja virtual própria como para aqueles que acabaram de adentrar o universo comercial online.

Entre algumas dessas vantagens se destacam:

Crescimento do setor

O mercado digital segue em pleno processo de expansão, lidando com a maior adesão dos consumidores a esse modelo de compra. A inclusão cada vez maior da internet e dos aparelhos eletrônicos na vida da população é um dos responsáveis por isso.

E se o público se encontra com uma frequência maior na internet, cabe ao mercado ir ao encontro dos seus clientes e potenciais consumidores, adotando novas formas de contato, assim como novas modalidades de compra.

Acompanhando esse processo de digitalização dos sistemas, com destaque para os serviços comerciais, as plataformas de venda se tornam grandes aliadas do setor de vendas, principalmente ao pequeno consumidor.

Alta visibilidade

Ao contar com um acesso cada vez mais frequente dos consumidores, é possível notar também uma maior visibilidade desses serviços por parte do público.

Se o consumidor passa mais tempo no celular do que na rua, é mais fácil ele encontrar a sua loja na internet do que em um ambiente físico, que depende de questões como a localização do seu estabelecimento.

Essas plataformas costumam trabalhar com diversas estratégias de marketing digital, como o uso de palavras-chave entre outras configurações de SEO, que permitem que o seu site seja facilmente encontrado pelos buscadores da internet.

É uma relação similar a quem procura por mão de obra qualificada e especializada no setor automotivo, e é levado ao site ou às redes sociais de uma loja mecânica de grande renome.

Os serviços de marketplace trabalham com esse mesmo tipo de especialidade, atuando para que os seus nomes, assim como os diversos departamentos com quais trabalham, tenham um destaque claro para o usuário.

Segmentação do mercado

Outra facilidade trazida pelas plataformas de venda é a segmentação dos seus serviços. Enquanto alguns sites de marketplace trabalham com um público amplo, de roupas a aparelhos eletrônicos, outros optam por ter um público de nicho.

É o caso de um marketplace focado em calçados, trabalhando com diferentes vendedores e fornecedores do ramo, como negociantes de sapatos, sandálias e chinelos.

A pluralidade dessas plataformas permite também que você monte as suas atividades comerciais em diferentes entidades, mantendo uma loja própria e vendendo em um site específico de vestuário, junto de outro que conta com um público mais amplo.

Modelos de pagamento

Por se tratar de plataformas de grande estruturação, preocupadas em atender diversos públicos, com diferentes hábitos de consumo e de pagamento, elas costumam trabalhar com diferentes formas de remuneração comercial.

Isso é positivo para mercados com diferentes tipos de público, cada um atuando por meio de táticas comuns ao seu estilo.

É o caso de uma loja que confecciona bolsas personalizadas para empresas, que por trabalhar com grandes encomendas, prefere atuar por meio de transferência bancária.

Diferentemente de um vendedor de esculturas, que trabalha com o consumidor final, que costuma adotar diferentes formas de pagamento, tais como o parcelamento da compra em um cartão de crédito ou o pagamento direto via boleto.

As plataformas de venda trabalham com diferentes modelos de pagamento, justamente para acompanhar os hábitos dos consumidores, que se adaptam às novas formas de transação que o mercado econômico oferece, como nas transferências via PIX.

Considerações finais

Assim como o público se adapta às novas tecnologias e ao diferente escopo social em que se encontra, o mercado necessita estar atento a essas frequentes mudanças, para se apresentar de forma clara e positiva aos seus consumidores.

E se a internet é o novo foco do mercado, os novos empreendedores precisam desde o início do seu projeto se adequar à realidade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.