Por que é possível empreender em qualquer cenário?


Ellen Moraes abriu o primeiro negócio aos 19 anos: uma loja de roupas com vendas físicas e online. Ao contrário da maioria das empresas no Brasil, ela não quebrou nos dois primeiros anos, mesmo com a pouca idade e em um meio tão competitivo. Não apenas isso, ela seguiu no mundo dos negócios e hoje, aos 25 anos, dá cursos e é independente financeiramente. O diferencial desta jovem é mais palpável do que se pode comumente pensar: compreensão do mercado.

Ao abrir uma empresa, seja de qualquer ramo ou produto, é crucial fazer pesquisa de mercado. “Tem que entender o potencial do seu público, quem são, o que querem e ter clareza de quanto dinheiro você dispõe para investir, não se gasta nem um real se não tiver clareza de todos estes aspectos”, afirma a consultora de negócios e especialista em marketing. Essa pesquisa passa por conhecer os concorrentes, o que oferecem, seus pontos fortes e fracos para assim ver como é possível ter um diferencial. Em qualquer momento é possível encontrar alguma demanda reprimida, o que pode virar uma oportunidade, mas, para isso, é necessário estudar profundamente o cenário econômico. O passo seguinte é encontrar os fornecedores ideais da matéria prima necessária, analisar o preço do material e, a partir disso, precificar o produto ou serviço. Com todas estas informações será possível saber quanto deverá ser o investimento inicial.

Outra questão fundamental que Ellen destaca em suas consultorias e que ela mesma vivenciou é o fato de que o plano, na maioria das vezes, não sai como o planejado. “O plano serve apenas como um Norte a ser seguido”, afirma Ellen Moraes. Será necessário fazer adaptações, o que pode levar um ano ou mais para que a empresa encontre o caminho certo e não quebre logo no início. Por último, e não menos importante, deve-se validar as vendas: não basta criar um “plano perfeito” sem saber na prática como vender. “Você tem que vender sua primeira peça e entender como é, isso é como uma experiência de ciências, que você precisa testar para validar, não existe empresa sem venda”, ensina a jovem. Somente após todas estas etapas o empreendedor está apto para fazer o CNPJ e começar os trabalhos. Para finalizar, Ellen reforça duas regras de ouro para qualquer empreendimento: jamais misturar despesas pessoais com as da empresa e estar preparado para as crises. “É importante guardar parte do lucro para reinvestir nos negócios e também ter uma reserva emergencial para os momentos de crise, pois não sabemos quando exatamente vai acontecer, mas acontecem”, finaliza Ellen Moraes.

Fonte: MF Press Global
Crédito Foto: Divulgação / MF Press Global


CADASTRE PARA RECEBER NOSSAS NOVIDADES