Empresas devem seguir as novas tendências de vendas após a quarentena


A mudança no consumo criou novos meios de fazer vendas após a quarentena. Veja algumas dessas tendências que já estão sendo colocadas em prática pelas empresas.

A pandemia mexeu com o mundo, a economia foi afetada e as pessoas precisaram se adaptar a uma nova realidade na qual o distanciamento social é mais do que necessário.

Essa situação afetou o consumo e deve mudar a maneira de como ocorrerão as vendas após a quarentena, com a necessidade das empresas se reinventarem e adotarem medidas que inicialmente foram criadas para serem temporárias.

Conheça algumas das tendências de vendas após a quarentena para que sua empresa se adeque a ela.

Atendimento ao cliente ágil e personalizado

Os consumidores esperam ter uma resposta rápida ao fazer uma compra ou pesquisar sobre um produto. Nas lojas online, um chat pode ser uma ferramenta para tirar dúvidas do cliente e direcionar para a compra.

A agilidade é outro fator fundamental. Por exemplo, um cliente que está buscando cotação do seguro quer um retorno rápido, se isso não ocorrer ele irá para o concorrente que for mais ágil.

Outro ponto do atendimento está em personalizar, é preciso que os clientes se sintam como pessoas e o tratamento deve ser mais humanizado, mesmo quando existe o uso de chatbots e com uma linguagem próxima.

Fortalecimento do uso do omnichannel

O omnichannel prevê integrar diferentes canais de atendimento permitindo a integração do online com o offline e melhorando a experiência do cliente.

Essa era uma tendência que estava crescendo no varejo, mas que deve ser fortalecida com as vendas após a quarentena. Os clientes usarão multicanais para comprar, como pedir online e retirar na loja.

O mercado de automóveis sofreu mudanças na quarentena, por exemplo, então uma forma de se adaptar é usar multicanais para vender os veículos.

Para isso será preciso estruturar a cadeia de suprimentos para que toda a demanda possa ser atendida.

E isso não acontece somente nesse setor, mas em todos os demais.

Ofertas personalizadas que respeitem a privacidade

A segurança de dados e a privacidade dos consumidores ficaram em evidência com as pessoas cada vez mais se preocupando com a maneira que seus dados serão utilizados.

As empresas deverão ter uma política clara sobre os uso de dados e coletas das informações para que possam usar esses dados em campanhas de marketing com ofertas interessantes e que não se tornem invasivas.

Vendas após a quarentena devem continuar digitais

O desconforto de fazer compras online no início da pandemia era um sentimento comum a muitas pessoas que não estavam acostumadas com esse universo. Entretanto, por uma exigência do momento, se adaptaram a comprar os seus produtos pela internet e a receber na comodidade de casa.

Isso fez com que houvesse uma adaptação e grande aceitação do e-commerce e agora as pessoas irão preferir comprar dessa forma por conta das facilidade.

Investir em lojas virtuais será quase que uma necessidade para as empresas.

Confiança na marca

Os consumidores buscam uma identificação com a marca, querem confiar nela e terem ideais em comum. As empresas que se posicionam, possuem uma causa e atuam em prol da sociedade terão mais credibilidade e serão mais buscadas.

As organizações, após a quarentena, terão que ter algo a mais do que produtos e serviços, deverão realizar ações que demonstrem seu posicionamento.

Essas serão algumas das vendas após a quarentena, existem outras e a grande maioria está relacionada a uma proximidade com os clientes e uso de tecnologias inteligentes.

Por Jeniffer Elaina,


CADASTRE PARA RECEBER NOSSAS NOVIDADES