E-commerce brasileiro fatura R$ 5,6 bilhões em julho


No início do segundo semestre, os brasileiros continuam empolgados com o comércio eletrônico. De acordo com dados do Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado com foco em e-commerce, no sétimo mês do ano as compras online apresentaram alta de 22,9% e totalizaram R$ 5,6 bilhões.

A alta está relacionada principalmente ao aumento no número de pedidos: ao todo, foram realizadas mais de 14 milhões de compras online no período – aumento de 22,4% em relação a julho de 2018.

O tíquete médio ficou praticamente estável no período, totalizando R$ 398, apenas 0,4% maior do que no mesmo período do ano anterior.

De acordo com André Dias, Diretor Executivo do Compre & Confie, “O comércio eletrônico é um dos principais setores da economia que apresentam crescimento em momentos de recuperação econômica, impulsionados por preços competitivos e mudança no comportamento de compra do consumidor brasileiro. Além disso, jogos da Copa do Mundo e pré-eleições certamente enfraqueceram as vendas no ano passado no mesmo período, ajudando assim o forte crescimento deste mês em 2019”.

Quem compra mais

Ao analisar o consumo por região, é possível perceber que o Sudeste segue com grande atuação no mercado, com 65,5% do total de vendas. Atrás, estão Sul e Nordeste, com 14,3% e 12,3% respectivamente. Por último, estão o Centro-Oeste, com 5,8% das vendas e a região Norte, totalizando 2,1%.

Na comparação por gênero, o público feminino segue comprando mais que o masculino. As mulheres concentraram 51,2% do total das compras, com 48,8% sendo realizadas pelos homens. Apesar de comprar menos, os homens tiveram um crescimento de 28% comparado ao mês de julho de 2018.

Analisando os consumidores por faixa etária, a maior parcela do total de vendas vem de usuários que possuem entre 36 e 50 anos, com 33,2% das compras. Logo atrás, estão as pessoas entre 26 e 35 anos, que tiveram share de 32,7% do total de pedidos.

O público mais jovem, até 25 anos, representou 19,7% do mercado no mês de julho. Apesar de estar em terceiro lugar, foi o grupo que mais cresceu de um ano para o outro: ao todo, o incremento foi de 29% em relação a julho do ano passado.

Categorias mais vendidas

Em relação ao volume de compras, a categoria de Moda e Acessórios lidera, com 22,7% do total de pedidos realizados durante o mês. Beleza, Perfumaria e Saúde é o segmento que fica em segundo lugar, alcançando share de 13,8%. Em seguida, estão empatadas as categorias de Entretenimento e Artigos Para Casa, com 10,1%. Por último, o segmento de Móveis, Construção & Decoração está presente com 8,4%.

Já no âmbito do faturamento, a categoria mais rentável foi a de Eletrodomésticos e Ventilação: com 25,5% do total financeiro obtido no período. Moda e Acessórios, a líder em número de pedidos, é a segunda categoria que mais fatura, com 12,8%. Em terceiro lugar, está Telefonia, que representa 10,3%. Fechando a lista das cinco mais rentáveis, estão Entretenimento & Móveis e Construção & Decoração, com 10,2% e 9,5%, respectivamente.

Sobre o Compre&Confie:

O Compre&Confie é uma nova empresa da ClearSale, referência em inteligência de mercado e líder no mercado antifraude para e-commerce. A companhia monitora vendas reais de mais de 80% do varejo digital brasileiro e tem o objetivo de gerar a maior rede de confiança online do Brasil por meio de produtos para varejistas (B2B) e consumidores (B2C).

Para os consumidores, a companhia oferece um serviço 100% gratuito por meio do aplicativo Compre & Confie. Com ele, é possível monitorar o uso do CPF nas compras realizadas no mercado online e notificar compras indevidas. Também é possível ter acesso a pesquisas de satisfação para avaliar a experiência de compra em lojas online e, a partir das respostas, receber cupons e concorrer a prêmios semanais.

Com foco no varejo, indústria e mídia, o Compre&Confie oferece uma metodologia de captura de dados de vendas online em tempo real para que seja possível acompanhar as vendas no comércio eletrônico de maneira muito precisa. Além disso, os varejistas online são beneficiados com um selo de reputação, obtido pela avaliação dos consumidores online.

Fonte: Máquina Cohn & Wolfe